sábado, 27 de agosto de 2016

IMPEACHMENT DEVE SER VOTADO SEGUNDA À NOITE

VOTAÇÃO PODERÁ SER CONCLUÍDA ATÉ A MADRUGADA DE 3ª, NO MÁXIMO



O Planalto reavaliou o ritmo das sessões de julgamento do Senado e concluiu que o impeachment de Dilma Rousseff deverá ser votado na noite de segunda-feira (29) ou na madrugada de terça (30). A avaliação do ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) foi levada ao presidente Michel Temer na tarde desta sexta-feira. A conclusão é que etapas serão queimadas porque se esgotou a chicana dos senadores petistas. A informação é do colunista do Diário do Poder.
O PT pretendia arrastar o julgamento até a noite de 1º de setembro, véspera do término da presidência de Ricardo Lewandowski no STF.
Além de ignorar testemunhas de defesa, senadores pró-impeachment também serão econômicos nos discursos e até nas perguntas a Dilma.
A expectativa é que as testemunhas que ainda restam sejam ouvidas neste sábado, o que ajudaria muito a agilizar o julgamento.

LULA ORDENOU ‘ESTRATÉGIA DO INSULTO’ NO SENADO

É DE LULA A FRASE 'SENADO NÃO TEM MORAL' REPETIDA POR DILMISTAS



A “estratégia do insulto” foi ordenada pelo ex-presidente Lula aos senadores aliados, no julgamento de Dilma, segundo revelou a esta coluna um senador do PT. A expressão “o Senado não tem moral para cassar ninguém” é do próprio Lula. Ele já não pretende reverter o impeachment, mas utilizar esses insultos no documentário “Golpe”, no qual o PT deposita sua esperança de “salvação” nas próximas eleições. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
A ideia do documentário, de produção milionária, seria do marqueteiro João Santana. Será usado na eleição do Brasil e exibições no exterior.
A estratégia de Lula é resumida numa frase: “Se a gente não conseguir evitar o impeachment, ao menos vamos tentar desmoralizá-los”.
Petistas ainda relutam em usar dossiês com “podres” de senadores pró-impeachment temendo que os próprios podres sejam expostos.
No encontro de ontem no Alvorada, o indiciado Lula fez ver a Dilma que ela será condenada, e a aconselhou também a atacar o Senado.

Outra representação contra distritais envolvidos no Bonde da Propina

Presidente regional do PSOL, Antônio Carlos de Andrade, o Toninho, e a ex-distrital Maria José Maninha entregaram nesta sexta-feira (26/8) documento na Câmara Legislativa em que pedem o afastamento definitivo dos deputados investigados no Bonde da Propina



O presidente regional do PSOL, Antônio Carlos de Andrade, o Toninho, e a ex-deputada distrital Maria José Maninha, do mesmo partido, protocolaram na Câmara Legislativa nesta sexta-feira (26/8) um pedido de investigação e cassação dos deputados envolvidos no Bonde da Propina da Casa. É a segunda representação que chega à Casa contra os envolvidos no esquema que derrubou esta semana toda a Mesa Diretora.
“Esperamos que todos os envolvidos se expliquem e o PSOL está aqui para pedir que se investigue as graves denúncias e que se retire daqui esses deputados que envergonham o voto da população” disse Toninho. Ele destacou que só a pressão popular pode reverter o quadro. “Nossa expectativa é de que haja uma mobilização da sociedade.”
Na quinta-feira, as entidades Adote um Distrital, Observatório Social e União dos Auditores Federais de Controle Externo (Auditar) também protocolaram uma representação na Câmara pedindo a cassação de cinco deputados envolvidos no escândalo de corrupção. São eles: a presidente afastada da Casa, Celina Leão (PPS), Raimundo Ribeiro (PPS), primeiro-secretário, Julio Cesar (PRB), segundo-secretário, e Bispo Renato (PR), terceiro-secretário. Cristiano Araújo (PSD), que não integra a Mesa Diretora mas também é investigado pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), entrou na mira dos representantes da sociedade civil.
Os cinco parlamentares são investigados pelo MPDFT e foram alvos da Operação Drácon, deflagrada na terça-feira (23). Diversos mandados de busca e apreensão foram cumpridos e os cinco deputados prestaram depoimentos. No mesmo dia, a Justiça determinou o afastamento de toda a cúpula da Câmara Legislativa. O pivô do escândalo é uma emenda de R$ 30 milhões para a saúde. Gravações feitas pela distrital Liliane Roriz (PTB) indicam suposto esquema de pagamento de propina para liberação dos recursos.
Ainda na quinta-feira, o Sindicato dos Servidores da Câmara Legislativa e Tribunal de Contas do DF (Sindical) entrou com um requerimento junto ao Ministério Público do DF em que pede o afastamento cautelar dos integrantes da Mesa Diretora (secretário geral, secretário executivo da 1ª secretaria; secretário executivo da 2ª secretaria e secretário executivo da 3ª secretaria).
Para o Sindical, “a decisão judicial que afastou os parlamentares da Mesa Diretora foi inócua e sem efeito prático,  uma vez que os assessores diretos dos parlamentares,  que compõem a Mesa, continuam agindo livremente.”

Fonte:http://www.metropoles.com/mundo/politica-int/outra-representacao-contra-distritais-envolvidos-no-bonde-da-propina


VEJA AINDA:


**********




Estamos de olho!!!

 




POR Tenente Miro Rajão - Especialista em Segurança